“O saber a gente aprende com os mestres e os livros.

A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes”.

Cora Coralina


A estática do silêncio

Maria Lúcia Verdi -

O que se pode dizer da rosa
do perfume da rosa
 frente ao cheiro destas mortes
daquelas mortes
Mortes próximas e distantes
O que se pode dizer do azul
frente ao cinza, ao negro,
ao putrefato horizonte de sangue
O que se pode dizer do homem
da linguagem do homem
frente a violência sem rosto
O que se pode ainda dizer
frente a cada cotidiana
incansável morte


Pedaços de corpos
de todas as cores
a assombrar as noites e os dias
aqui, lá, por toda parte
O som de vozes caladas
a se escutar no vento
(que terão dito essas vozes
sobre amor, luta,  sonhos
- palavras encapsuladas para sempre
na estática do silêncio
no ruído peculiar de um certo
silêncio

Destaques

Mais Artigos

Numa tarde poética, no Leão da Serra, em Brasília, Maria Maia recita este poema de Mario Maia, com o qual foi cassado do mandato de deputado...
(447)